segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Stay away from me




What is heaven
And what the fuck is hell?!
What's the difference
If now... I'm alive

Today I'm far away
From all those people
From all those feelings
I used to do

Next to them
No more, no more
And never again
I'm gonna be next...

Stay away from me
Stay away from me
All of you
That don't believe in what I say !

They've already gone away
They've already gone away
From me
Finally.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Estranho romance


''Pois é seu maldito! Eu disse que você não ia acreditar! Mas você insiste em dizer que eu sou emo só porque uso uma porra de franja!''

Disse Carlos quando estava já com a paciência e os nervos no limite quando não aguentava mais todos os seus colegas de escola rindo de como usava o cabelo quase que cobrindo os olhos.
Ele sempre escutou musicas pesadas, aquelas com guitarras de 4 acordes e bateria de uma ou duas elevadas. Emocore? Haha, não creio. Não pois o que tem de musicas populares com esses status são tantas, mas tantas! Que se for contar, putz... Mas enfim, voltando ao Carlos e sua forma um tanto depressiva de se expressar. Bom, ele sempre foi assim. E sempre foi feliz, com todos os seus poucos amigos de allstar e blusas pretas com a estampa do Good Charlote, My Chemical Romance, Simple Plan... Mas Carlos tinha desprezo por Nx-zero.
Não sei se foi porque os caras não tem nenhuma personalidade, ou porque a musica era um lixo mesmo. Mas ele sempre dizia:

''Cara, foda-se. Eu caguei mesmo pra sua opinião. Se não gostou da porra da minha roupa, f o d a-s e...''

Pois é, um típico revoltado. Tinha só 16 anos quando ouvindo o novo album do MCR, Danger Days, percebeu uma coisa: Antes os caras tinham personalidade! Tinham o jeito depressivo e fúnebre de se vestir e cantar mas mesmo assim, mudaram. Mudaram para uma história em quadrinhos! Hehe.
Ouvir este album foi como se algo dentro dele exclamasse: O punk não morreu!
Como se o MCR não estivesse só contando mais uma história, mas questionando e denunciando algumas falhas no comportamento dos jovens contemporâneos. Carlos sentiu a música pela primeira vez. E se viu como um Killjoy, ou quase.
Pois é caro leitor, era isso o que Carlos tentava explicar no início quando tentou confundir o garoto que mais batia nele na sua época emo. Ele não mais precisava do que palavras, e joga-las pra cima de seu antigo adversário, que ficou paralisado sem ter o que e como falar. E foi nessa mesma hora que a porrada iria estancar com todos na escola encarando o mais popular X o mais looser. Começaram as apostas e os empurrões pra cima de Carlos e Thiago, que ainda não sabia se ria ou se metia logo duas esquerdas no queixo do garoto magro de allstar.

''Que ele apanhe logo de uma vez! Eu quero ver sangue de emo!''

Disse um gordo que assistia de longe a roda que começava a se formar como um ring para Carlos e seu inimigo de longa data caírem e rolarem até que um não se aguente mais em pé, cena digna desses filmes americanos dos anos 80 em pátio de colégio. Mas para o azar, ou sorte de Carlos, o diretor estava em reuniões com os professores. E como nenhum inspetor ia com a cara do garoto fúnebre e melancólico sem amigos, esperaram pra ver só alguns arranhões na cara do garoto.
E quando todo o nó estava prestes a desabrochar, Carlos pensou rápido. E pensou mais rápido do que todos os acéfalos que o cercavam. O que ele tinha a sua frente, não era um ring para duas pessoas brigarem enquanto as outras assistem, mas uma roda punk.
É! Uma roda punk era o que tinha de rolar naquele momento, antes que Thiago tomasse coragem e lembrasse dos culhões que todos os bebês de 18 anos dizem ter e cravar ali mesmo sua glória... Carlos não podia deixar isto acontecer, não mesmo!
Quando Thiago deu seu primeiro passo em direção ao seu corpo não tão frágil, Carlos mesmo começou a puxar e empurrar os covardes que estavam logo ali atrás prontos para empurra-lo de volta ao ''ring'' quando quisesse fugir. Mas quem falou em fugir? Carlos tomou alguns socos e ponta pés, mas conseguiu usar a força de meia dúzia de garotos contra eles mesmos. E a obra de arte estava formada, só faltava a música...
Todos os que se meteram na roda apanharam muito, mas ninguém apanhou mais do que Thiago que estava bem no meio. Carlos poderia ter morrido ali se não fosse esperto o suficiente pra fugir na hora certa, e fugir daquela escola para nunca mais voltar. Porque se voltasse... com certeza as mentes fracas e fechadas não deixariam nenhum inspetor ou diretor impedir alguma coisa.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Filosofia, eu quero uma pra viver.


Nunca passou pela minha cabeça de que essa idéia do pessimismo podia mesmo ser a principal fonte de atraso em nossas vidas. Contendo provas verídicas e não só baseada em meros discursos e diálogos de filmes bem humorados. Perdão, mas não gosto de vírgulas. Elas são como pedras que nos fazem tropeçar na leitura.

Mas nossa! Impressionante como o positivismo pode influenciar nossas esperanças a nunca perder seu brilho. Eu acho que não seria feliz fazendo direito. Estaria ali como que por uma obrigação e como meu único meio a ser inserido nessa sociedade burocrática. Estudar ela seria mesmo o melhor meio de lidar com todas as falhas que torturam e massacram os ingênuos, pobres e oprimidos que não tiveram suficiente estudo ou suficiente criação para lidar, não só com os outros e o meio que os cerca, mas com si mesmos. Estudando filosofia eu teria sempre que estar evoluindo por mim mesmo e não depender de ninguém a não ser dos professores pra me virar. Nessa idéia de ser um filósofo vi uma forma de auto-expressão independente. E não só procurar por meros estágios ou concursos públicos onde estaria a ganhar até 10 ou 15 mil por mês. No fundo sinto que não quero ganhar tanto para não fazer nada como todos esses caras que quando chegam aos 40 anos... E desiludem-se. Passam a procurar uma nova carreira e os mais desesperados, ou suecos, tentam suicídio. Somente porque não fizeram aquilo que queriam quando tinham 18 anos - Realmente uma covardia do caralho e descarada desses filhas da puta que nos colocam pra decidir nosso futuro com 18 ANOS PORRA! VAI SE FODER! - e claro, graças à necessidade absurda de se ter dinheiro e luxo. No fundo queria mesmo estudar o comportamento de uma sociedade perante as circunstâncias e conseqüências que um mundo globalizado é capaz de trazer. Sim, eu espero poder passar para um mestrado e me especializar mesmo nessa profissão. A ponto de ganhar só aquilo que eu mereço e sempre estando a par de como e por que as coisas acontecem. Viver de livros é um sonho que muitos têm mas poucos criam coragem e força dentro de si para lutar por essa carreira que eu considero a melhor de todas. O emprego perfeito.

Sei que pra isso não preciso estudar letras. Já recebo elogios de amigos, professores e da minha própria força de vontade. Leia mais e serás um melhor escritor. Escreva mais e serás mais eloquente, foi isso o que eu aprendi. Ainda que em toda a minha estadia no 2º grau eu tenha me fodido tanto em português rs. Mas sempre fui razoável nas redações. E esse razoável com o tempo passou a ser minha melhor matéria, superando inglês. Eu era o tipo de aluno que se dava mal em todas no ensino médio. Só tirava acima de 7,0 em inglês e redação. Até história eu só tirava no máximo 6,5. É engraçado e ao mesmo tempo constrangedor pois mesmo assim eu só andava com os nerds, haha. O resto do meu ano gostava de me zuar por eu ser tão... Excêntrico. Sempre tive um espírito de criança e nunca vou deixar de tê-lo. Mas só depois de concluir o ensino médio e me afastar daquele desprezível ambiente de todos tentando se colocar pra baixo por uma merda de palavra ambígua dita sem querer, que enfim pude perceber. E só percebi junto com Shakespeare. ''Se quiseres evoluir, cerque-se de pessoas mais evoluídas do que você.''

E quanto mais eu escrevo mais eu vejo que preciso de experiências e conversas para poder escrever direito, escrever aquilo que eu já experimentei. Caso não consiga tal feito, que eu use minha imaginação e imagine todo tipo de situação que possa vir, no futuro, ser algo a que me diz respeito de fato.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Danger Days




Art is the Weapon
There is no true
There is no lie
Just your imagination

She is your only ammunition
You don't need anything else
Forget your shameless
And all your frustrations

Stay dirty, and get dangerous
Get away from where is too safe
This places usually keeps
Everything that you hate

Create and destroy at will
Don't matter what the others think
Keep yourself alive
In your own sunshine

Embrace your uniqueness
You don't need help
It's nice to act like a punk
You can and should do anything you want

'Cause the future is bulletproof
And the aftermath is secundary
It's time to do it now and do it loud
Like the true lives of the fabulous Killjoys.

domingo, 16 de janeiro de 2011

Terrenos impróprios para...



... tornar-se útil a si mesmo, mais do que para os outros. Essas frases feitas têm me incomodado. Elas retratam aquilo que eu ainda não sou e tento ser. Não sei bem o que deu em mim pra imaginar ser poeta ou mesmo me sentir melhor do que os outros só por ter uma facilidade pra rimar algumas muitas palavras bonitas. Não, talvez eu não seja melhor ou tenha algum tipo de dom como pensava. Imagino que todos no fundo devem pensar isso, mas não tem coragem ou acham mesmo desnecessário falar esse tipo de coisa para os outros. Sejam amigos, conhecidos ou colegas de trabalho. Quem vai acreditar que eu e você temos um dom especial. Facilidade pra lidar com arte e assim ‘’ganhar dinheiro fácil’’. Como eu odeio essa expressão. Repugnante a inveja e o descaramento na boca dos que dizem isso.

Insalubre terreno é aquele que desde sempre não foi bem cultivado. E agora carrega suas marcas em seu subsolo podre onde nada é capaz de crescer, evoluir, viver uma vida próspera e tranqüila. Sem muitas discussões supérfluas ou qualquer forma de tornar inútil e desagradável um momento que poderia ser uma ascenção. Chegar ao clímax da felicidade é uma tarefa impossível para as plantas que vivem em terrenos... Como esse. Terrenos onde hoje os Homens regam seus frutos. Poucos frutos para muitos Homens. E como é de se esperar, é claro que a maioria desses Homens ficará sem frutos, e morrerá de fome, assim como as plantas morrem sem água num terreno... Como esse. É, tem gente morrendo todos os dias, seja por excesso ou falta de água. Mas ainda me sinto como num deserto a procura de um oasis. Ilusões nos fortalecem, muito mais do que pensamos. Aquele momento em que é avistada uma mini floresta entre uma imensidão de areia, ou quando o cara que fica no mastro diz: Terra à vista! Depois de meses em alto mar. As ilusões são demais tentadoras para serem recusadas. Viver como uma planta é se desiludir, e se privar de todos esses prazeres mascarados. Ainda que momentâneos, eles nos fazem sentir mais vivos.

Há os que acreditam nunca se iludirem, como as plantas. Pois veja lá. Nós não somos assim tão diferentes daquelas maravilhas esverdeadas. Não somos diferentes de nenhum desses animais irracionais a nossa volta. Se é que podemos nos auto-intitular racionais. Se podemos é porque alguns poucos homens brilhantes puderam provar isso com palavras. E ainda dizem por aí que atitudes valem mais do que elas, a maior invenção do Homem, a comunicação. Acho que eu discordo e com muito prazer pois as palavras certas com a devida atuação do locutor, é um balde de água fria para o ignorante que fica sem o que dizer, e parte para aquilo que desde o início eu tentava mostrar. A principal forma da maioria dos Homens de se expressar. Não é mesmo meus caros religiosos fanáticos? Pois é, a ignorância nos cerca desde muito tempo. Ela faz parte do cotidiano dos homens e mulheres que a negam até seu último músculo estar doendo. É claro que ninguém vai aceitar ser comparado a um macaco – e não estamos falando no sentido racista, mas no intelectual - e deixar tamanha desonra e falta de respeito atingir seu suposto posto superior de ser humano. Um ser superior que conquistou não só as terras, mas os mares e o céu. Este devido homem que faz parte da espécie que dominou o mundo não pode tolerar ser humilhado e por assim dizer, sentir-se obrigado a usar a única força que de fato têm.

Ela mesma leitor. A ignorância é um bem assim como o intelecto. É esta que faz seu hospedeiro destacar-se em seu convívio social. E sem este concordemos que a nossa doce família torna-se chata, barulhenta, invasora de privacidade. No âmbito profissional pode se tornar um estorvo. Se não conseguires usar a lógica do pensamento racional, não é qualquer organização, empresa ou instituição que vá aceita-lo. Mas novamente ora veja, o ignorante sensato é perfeito quando se trata de tirar o mal pela raiz. E não me entendam mal quando me refiro a determinada ignorância que não significa não saber ler ou escrever, ou falar com um mínimo de eloqüência e se virar na vida afora e conseguir uma casa confortável. Pelo amor que eu tenho por mim mesmo e naqueles poucos em quem confio, a ignorância está em todas as mentes fechadas que ainda, aos bilhões, existem.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Utopia ostentativa

A vida é uma grande babaquice
Que as pessoas supervalorizam
Só pra se sentirem mais livres
Seguindo regras corretas em pânico

Com medo, eles sempre têm medo
Que alguém saia da linha
Imaginária
Criada pra fazer da vida uma eterna batalha

E no final dela
Morrer, eles sempre morrem
Tem seus corpos postos num caixão
Delirando chegar num paraíso de ostentação


Nada que existe é de fato importante
Nada a nossa volta é relevante
Afinal, nós não somos nada
Só mesmo o nada pra ser um bom amante

O coadjuvante de tudo o que fazemos
O protagonista daquilo que tentamos ser
Por meras tentativas usando panos
De chão, continuando a tentar viver

Se a vida não é uma ilusão
Então o que seria?
Uma utopia aclamada em vão
Que nos iludi dizendo sermos livres

Uma metáfora sem graça
Que diminui ações de emoções
Resultando na ironia
Desse infinito de desilusões.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Consciência invadida por uma alma perdida


Ola meu caro, meu nome é Wagner. Sou uma alma meio que perdida entre algumas dimensões, e em uma delas vocês humanos vivem com suas consciências sempre atormentadas pela dúvida e o medo do desconhecido. Estou usando agora a mente do cara que escreve nessa página. A cabeça dele me pareceu um pouco menos poluída da maioria que tive o desprazer de me infiltrar nesse mundinho insano e egoísta de vocês, pobres humanos.
Outra vez eu passei pela mente dele, e escrevi um poema com um vocabulário bem escroto da língua portuguesa, a minha favorita por sinal. O inglês é bonito e tal mas eles fazem muita pose com tanta palavra besta. É, eu acho isso.
Nessa minha breve invasão de mentes alheias, queria deixar um desabafo. Vocês não sabem como é torturante não saber em qual dia de uma eterna existência uma alma conseguirá arranjar um corpo saudável e em condições de prosperidade para poder nascer. Nenhum de nós quer nascer na Etiópia, Somália, Serra Leoa, enfim... nesses países da África subsariana e naqueles de religião islâmica. Experimenta nascer mulher na Turquia filhão! Um abraço pra sua vida, pq viver sendo fêmea nesses lugares é o 2º pior lugar pra se viver na Terra. Só não podem ser piores mesmo do que os países mais pobres desse planeta.
É realmente angustiante só pensar em nascer la, não poderia ser maior injustiça alguém que fez tão bem pra tanta gente como eu na minha vida passada, nascer num lugar assim.
Não sei como acontece esse julgamento mas provavelmente, na minha humilde opinião é claro, aqueles que foram mais filhas da puta em suas presentes vida são punidos dessa forma.
Se você aí que está lendo isso acredita mesmo que depois da morte vocês vão pro purgatório, e nele são julgados pelos seus pecados na Terra para então passarem a eternidade no tal céu, ou inferno né... Por favor, se matem agora para tirar essa alienação medíocre da mente de vocês.
Eu devia ser mais complacente com esse tipo de crença, até pq é gente pra caralho que hoje está viva e pensa assim. Mas eu pensei melhor e como tenho raras oportunidades de uma mente como a desse cara que estou usando e o tempo que ele me disponibilizou, então vou falar logo com todas as letras e com um vocabulário digno:
Adão e Eva? Abrir o mar com um cajado? Dilúvio com uma chuvarada de 7 dias e 7 noites? Quem acredita nessas e em muitas outras historinhas que eu contava pra minha filha dormir, tenha a decência de estudar um pouco mais sobre o mundo em que vives, ou se não fores capaz disto e gostares mesmo de viver uma ilusão dentro de outra (sim, a vida é mesmo uma ilusão ;D), o que eu posso fazer é uma das coisas mais importantes que aprendi sendo humano... Ignorar a ignorância. Não é à toa que têm o mesmo radical né.
Não meu caro (a)gnóstico, ateu, kardecista, budista. Não percam o tempo de vocês discutindo religião, não com esses cristãos contemporâneos. Uma pena o nome de um grande líder ser usado por essas instituições de merda que dizem salvar vidas. Algumas delas acabam salvando, mas o pouquíssimo que elas salvam hoje nem se compara ao que há uns poucos séculos atrás, mataram e torturaram. Maldita bíblia... Qualquer tipo de indivíduo adulto que siga tanta historinha escrita em metáforas pra lavar as mentes e dominar populações ingênuas colocando-as como um subproduto do sistema capitalista que vivemos hoje e pelo jeito, vamos continuar vivendo por um bom tempo, é digno de muita dó e compaixão. Mais do que o seu querido Cristo foi capaz de ter por todos nós. Além de alimentarem todo domingo, todo o tipo de preconceito contra todo o tipo de pessoa que fuja aos padrões estéticos essa sociedade mesquinha... Na boa, eu consigo respeitar o padre, mas o pastor é sacanagem colega. Só pode ser palhaçada o que esses caras falam. Mas enfim, aqueles que decidirem por puro bom senso que esse atual Deus cristão com seu céu, inferno, paraíso, purgatório e o caralho a 4... é um cosplay que numa competição de Anime Family perdeu pra garotinha de InuYasha, um brinde.
Avatar meu caro. É isso o que Jesus, Buda, Hare Crishma e entre outros que no momento não me recordo, foram. A maturidade da alma não é um dom, acredito eu ainda que todos podem alcança-la. Mas nessa triste e deprimente atualidade de 2011, o aparecimento de um avatar é algo muito improvável de acontecer segundo meu 6º sentido.
Mas ah, quem se importa... Sendo ou não um salvador, morri feliz no ano passado tendo aproveitado meus 81 anos. É engraçado que quando somos muito jovens tipo la pelos 19, 20 anos pensamos que podemos chegar aos 80 fácil. Com certeza se eu não tivesse bebido tanto na minha juventude, teria chegado aos 90 saltitando e sem doenças, mas isso também só porque tive a sorte de nascer com uma forte memória imunológica. Ainda assim não, não me arrependo de nenhum limão que tive de chupar pra absorver a ardência das tequilas. 9 anos a mais de vida não compensam 50 anos bebendo e rindo à toa com os amigos. Só parei aos 65 porque bem ou mal, todos nós temos aquele orgão né, e ele aguentou meio século de porrada por mim. O melhor amigo do homem não é o seu cachorro, carro, Deus, ou o bilhete premiado da mega senna...
Tudo bem, tudo bem... Um exagero desnecessário. Mas antes de tudo, inclusive do dinheiro, agradeça ao seu fígado por estar vivo, e vivendo bem.
Uma boa noite.